Paraná Extra

Paraguai passa a exigir vacina contra febre amarela a partir do dia 1º

Para prevenir a entrada do vírus da febre amarela, o Ministério de Saúde Público e Bem Estar Social do Paraguai informou que a partir do dia 1º de fevereiro, o setor migratório passará a exigir carteira de vacinação contra a febre amarela, de cidadãos paraguaios ou estrangeiros, que entrem ou saiam do país. A norma vale para viajantes com destino de chegada ou partida para os estados brasileiros do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.
O Ministério da Saúde informa ainda, que pessoas com viagem planejada para estes destinos, considerados zonas de risco, devem se vacinar com prazo mínimo de 10 dias. O ministério ressalta, que uma dose é suficiente para ficar imune contra a febre amarela por toda a vida. Pessoas com contraindicação à vacina, como imunodeprimidos e com hipersensibilidade ao ovo e derivados, ficam dispensados da exigência, considerando o risco epidemiológico de contrair a doença, principalmente grávidas e idosos.

A Direção Geral de Migrações trabalhará em cooperação com o Ministério da Saúde para prestar assistência nos postos de fronteira e aeroportos, evitando inconvenientes que possam surgir com a medida.

Em Foz do Iguaçu, maior cidade brasileira de fronteira, o chefe da 9° Regional de Saúde do Paraná, Ademir Ferreira, informou que não foi comunicado oficialmente pelas autoridades paraguaias sobre a exigência da carteira de vacina, mas que irá procurar o setor de saúde em Cidade do Leste, para receber mais informações.

Deixe uma resposta