Paraná Extra

Paraná tem quatro casos suspeitos de febre amarela

Segundo o levantamento, do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta (31), o Paraná tem quatro casos  suspeitos de febre amarela em investigação e outros 14 casos suspeitos foram descartados.

O último caso de febre amarela autóctone confirmado no Paraná foi em 2008, em Laranjal, região central do Estado. Com relação a óbitos, os últimos também ocorreram no mesmo ano nas cidades de Maringá (caso importado) e Laranjal.

Importado

A Prefeitura de Curitiba confirmou hoje o primeiro caso de febre amarela na cidade. O caso é importado do estado de São Paulo, de acordo com as primeiras informações.

De acordo com a prefeitura, não há caso de macaco encontrado com sinais da doença na capital paranaense. A vítima da doença esteve em Mairiporã, próximo à capital paulista, entre os  dias 22 a 30 de dezembro. Ela permaneceu internada até o dia 8 de janeiro e já recebeu alta. A Secretaria Municipal de Saúde descarta mudar a recomendação da vacinação, que segue liberada apenas para quem às áreas de risco.

Negativos

Além da vigilância de casos, o Estado também realiza a vigilância do óbito de macacos e coleta de mosquitos. Apenas em 2017, foram investigados 182 pontos em 89 municípios, o que corresponde a 22,3% do território estadual. O último inquérito foi realizado no mês de dezembro e, até agora, todos os resultados foram negativos para a presença do vírus.

O Brasil registrou 213 casos de febre amarela, sendo que 81 vieram a óbito, no período de 1º julho de 2017 a 30 de janeiro deste ano. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 468 casos e 147 óbitos O Ministério da Saúde atualizou nesta terça-feira (30) as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação da febre amarela no país. No período de monitoramento (de 1º de julho/2017 a 30 de janeiro de 2018), foram confirmados 213 casos de febre amarela no país, sendo que 81 vieram a óbito. Ao todo, foram notificados 1.080 casos suspeitos, sendo que 432 foram descartados e 435 permanecem em investigação, neste período.

No ano passado, de julho de 2016 até 30 janeiro de 2017, em todo o Brasil eram 468 casos confirmados e 147 óbitos confirmados. Os informes de febre amarela seguem, desde o ano passado, a sazonalidade da doença, que acontece, em sua maioria, no verão. Dessa forma, o período para a análise considera de 1º de julho a 30 de junho de cada ano.

Deixe uma resposta