Paraná Extra

Paranavaí: TAC destina equipamentos para ICMBio e PM Ambiental

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria da República no município de Paranavaí, firmou no começo deste ano um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) envolvendo pesca de grande volume em local proibido. O acordo garante o fornecimento de equipamentos para o ICMBio Rio Paraná, responsável pela gestão do Parque Nacional de Ilha Grande e Apa das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná; e também para a Polícia Ambiental de Umuarama.

A região sob a gestão do ICMBio Rio Paraná envolve seis procuradorias da república: Presidente Prudente (SP), Dourados (MS) e Naviraí (MS); além de Guaíra, Umuarama e Paranavaí, no Paraná.

Em razão da formalização do TAC pelo MPF, as instituições receberam R$ 200 mil em itens. O ICMBio Rio Paraná foi beneficiado com uma camionete 4×4, aparelhos de GPS, câmeras fotográficas e um drone. Já a PM Ambiental recebeu um motor para embarcação utilizada em atividades de fiscalização. Além disso, os bens destinados também terão como finalidade a educação ambiental e ao combate e prevenção contra incêndios.

“A celebração do ajuste foi bastante importante, tanto para que os resultados viessem no tempo adequado como para conferir melhores condições de trabalho para as instituições de fiscalização ambiental que atuam na região em que os danos ocorreram´´, destacou o procurador da República Henrique Gentil de Oliveira.

Para o chefe do Núcleo de Gestão Integrada (NGI) ICMBio Rio Paraná, este apoio vem em boa hora. “A gestão de unidades de conservação passa por um momento frágil. Recentemente tivemos uma de nossas bases depredadas, inclusive. Este tipo de apoio melhora nossa infraestrutura e levanta o moral institucional para que possamos cumprir a nossa missão que é proteger o patrimônio natural e promover o desenvolvimento socioambiental”.

Para o chefe do NGI a parceria com o MPF vem de longa data e tem trazido importantes resultados para a conservação da biodiversidade do rio Paraná e de seus ecossistemas associados, com especial destaque para a demolição de mais de 270 casas no arquipélago do Rio Paraná e de Ilha Grande.

Deixe uma resposta