Paraná Extra

Pepe Richa nega ter recebido R$ 1 milhA?o da JBS no supermercado

O secretA?rio de Estado de Infraestrutura e LogA�stica, JosA� Richa Filho, rebateu as acusaA�A�es de que recebeu dinheiro do diretor do Grupo JBS, Ricardo Saud, atravA�s de nota oficial distribuA�da ontem (21). As informaA�A�es foram repassadas pelo executivo em delaA�A?o premiada. A declaraA�A?o do diretor da JBSA�estA? em um dos vA�deos liberados na A?ltima sexta-feira (19) pelo Supremo Tribunal Federal.

Saud afirma na gravaA�A?o que repassou R$ 1 milhA?o em espA�cie ao secretA?rioA�Pepe Richa. A entrega aconteceu, segundo o executivo, dentro de um carro na frente de um supermercado em Curitiba.

TambA�m na A?ltima sexta-feira, apA?s a divulgaA�A?o da gravaA�A?o, o PSDB emitiu uma nota informando que o ComitA? Financeiro da Campanha Eleitoral de 2014 do PSDB a�?recebeu duas doaA�A�es do grupo JBS S/A, nos valores de R$ 1.000.000,00 e R$ 1.000,00, respectivamente. As referidas doaA�A�es estA?o declaradas na prestaA�A?o de contas entregue A� JustiA�a Eleitoral e em conformidade com a legislaA�A?o vigente A� A�poca das eleiA�A�es de 2014a�?.

Confira a nota de JosA� Richa Filho na A�ntegra:

OrganizaA�A�es criminosas atuaram no Brasil em conjunto com segmentos polA�ticos, saquearam os cofres pA?blicos, fizeram terra arrasada com festival de propinas e milionA?rias ampliaA�A�es patrimoniais.

Mais do que isso, descobrimos agora: institucionalizou-se o modelo de desvio e incorporou-se nas entranhas do funcionamento do Estado um vultoso esquema de corrupA�A?o.

A tudo isso expresso o sentimento da mais profunda repulsa e indignaA�A?o, que se soma A�quela dos milhA�es de cidadA?os de bem que esperam justiA�a e puniA�A?o aos responsA?veis.

Assim, nA?o aceito a violA?ncia que representa promover criminosos confessos da dilapidaA�A?o milionA?ria a ganhadores contemplados com o perdA?o de seus pecados, mediante o descredenciamento sistemA?tico da boa polA�tica e das pessoas honestas que a integram.

Em maior intensidade ainda, repudio as falsas afirmaA�A�es a mim dirigidas pela pessoa do a�?delatora�? da JBS Ricardo Saud, de quem nA?o recebi dinheiro algum. Em 2014, sequer fiz parte do comitA? financeiro de campanha do PSDB. Repito: nA?o peguei e nA?o recebi valor algum da JBS. O delator mente.

Meus atos falam por si. Sei de minhas obrigaA�A�es como gestor pA?blico, que deve ser de redobrada atenA�A?o, cuidado permanente e total compromisso com a coisa pA?blica.

Ao tempo em que enalteA�o a JustiA�a como pedra fundamental da democracia, volto os olhos para o respeito ao Estado de Direito, vilipendiado pelo crime que compensa e pelo escA?rnio da voz do delator que acusa levianamente, tentando comprometer a presunA�A?o de inocA?ncia com a banalizaA�A?o da barbA?rie.

A polA�tica, de igual forma, representa um patamar estruturante da democracia. Sem a polA�tica decente, nA?o hA? futuro decente para os nossos filhos.

AcusaA�A�es manipuladas nA?o podem vir ao encontro do enlace inquisitorial com nossas instituiA�A�es, sob pena de proliferarem ondas sucessivas de violA?ncia que, ao fim e ao cabo, resultam no desmanche do Estado.

Confio na capacidade de discernimento das pessoas de bem, na afirmaA�A?o da verdade e na atuaA�A?o isenta da JustiA�a, fiel escudeira do respeito A� lei e A� manutenA�A?o do Estado de Direito. Repilo as suspeiA�A�es oportunistas, que visam apenas a reduA�A?o de pena de criminosos confessos. Urge que a JustiA�a separe o joio do trigo, e se manifeste com veemA?ncia apA?s a necessA?ria, rA?pida e profunda investigaA�A?o de todos os malfeitos relatados. Acredito que ainda vale a pena ser honesto no Brasil. Mesmo que malfeitores tentem nos confundir com os canalhas.

JosA� Richa Filho

Deixe uma resposta