Paraná Extra

Permanece a ocupaAi??A?o por estudantes da Reitoria da UFPr

Os estudantes que ocupam parte do prAi??dio da Reitoria da Universidade Federal do ParanA? (UFPR) afirmam que ai???nA?o houve A?xito em relaAi??A?o Ai??s pautas apresentadas pelo grupoai??? apA?s uma reuniA?o com representantes da instituiAi??A?o.

Uma nota, divulgada na pA?gina mantida pelos alunos que fazem parte do protesto, afirma que a ocupaAi??A?o serA? mantida atAi?? que seja tomada uma atitude pela Reitoria, recontratando imediatamente os trabalhadores demitidos. Segundo a UFPR, o posicionamento do movimento ainda foi repassado de forma oficial para a instituiAi??A?o.

Desde terAi??a-feira (10), cerca de 30 estudantes estA?o nos departamentos de LicitaAi??Ai??es e ContrataAi??Ai??es (DELIC)Ai??e de LogAi??stica (DELOG) Reitoria. Eles protestam contra a demissA?o de funcionA?rios terceirizados da empresa Blumenauense, lotados no Restaurante UniversitA?rio.

Na reuniA?o feita ontem (11) eles chegaram a acatar o argumento da Reitoria de que estA? em curso um processo de fiscalizaAi??A?o nos Restaurantes UniversitA?rios pelo MinistAi??rio PA?blico do Trabalho (MPT), que deve resultar num relatA?rio sobre a real situaAi??A?o dos restaurantes. A prA?-reitora de Assuntos Estudantis da UFPR, Maria Rita de Assis CAi??sar,Ai??afirma que a ocupaAi??A?o pode trazer prejuAi??zos para os funcionA?rios.

Na A?rea ocupada pelos estudantes funcionam trA?s gerA?ncias e trA?s divisAi??es administrativas da UFPR, responsA?veis por serviAi??os como malote, protocolo, apoio Ai?? fiscalizaAi??A?o de serviAi??os terceirizados, importaAi??Ai??es, licitaAi??Ai??es e gestA?o de contratos.

Esses serviAi??os sA?o necessA?rios para a liberaAi??A?o do pagamento dos salA?rios dos servidores terceirizados e, como estA?o suspensos, podem gerar atraso no processo. A ocupaAi??A?o do prAi??dio foi organizada por um coletivo de alunos chamado de Frente de Apoio Ai?? Luta dos Trabalhadores e Trabalhadoras Terceirizados da UFPR.

De acordo com o movimento, pelo menos 13 trabalhadores do RU foram demitidos apA?s participarem de uma greve no ano passado. No dia em que o local foi ocupado, uma estudante do movimento, que nA?o quis se identificar, disse que o coletivo recebeu denA?ncias de mA?s condiAi??Ai??es de trabalho entre os terceirizados.

Ela conta que as seguidas demissAi??es promovidas pela empresa causaram um aumento nos acidentes de trabalho, jA? que os funcionA?rios do RU estariam sobrecarregados.

Desde o dia 6 de abril, o MinistAi??rio PA?blico do Trabalho realiza inspeAi??Ai??es em todas as unidades do RU em Curitiba.

Deixe uma resposta