Paraná Extra

PF desarticula grupos criminosos na região da fronteira

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (16), a Operação Saúva, para desarticular cinco núcleos criminosos que atuam no transporte de mercadorias ilícitas, em Foz do Iguaçu. Cerca de 60 policiais federais estão cumprindo 25 mandados judiciais, expedidos pela 3ª. Vara Federal de Foz do Iguaçu, sendo 15 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão preventiva, nas cidades de Foz do Iguaçu, Céu Azul e Santa Terezinha do Itaipu.

No decorrer da investigação, iniciada no final de 2017, verificou-se a existência de cinco núcleos criminosos que atuam ora de forma independente, ora de forma relacionada, no fornecimento de apoio logístico (armazenamento de mercadoria, disponibilização de olheiros, motoristas, batedores) para internalização ilícita de mercadorias descaminhadas (principalmente eletrônicos) ou contrabandeadas (cigarros). Tais grupos estão vinculados a diversas apreensões de mercadorias realizadas na região. Grande parte dos investigados já ostenta diversos registros pela prática de crimes de contrabando e descaminho, o que revela a dedicação à prática destes crimes de forma profissional.

As investigações demonstraram indícios acerca do modus operandi dos núcleos criminosos, demonstrando o elo estável mantido entre seus integrantes para prática de crimes. Identificou-se que um dos núcleos investigados mantinha central de monitoramento (câmeras de vigilância) instalada em frente a um posto fiscal da PRF, fornecendo em tempo real todos os dados necessários aos criminosos para driblar a fiscalização naquele local. Tal núcleo presta apoio a diversas organizações criminosas do País, ao fornecer o serviço de “monitoramento” da fiscalização para organizações criminosas que atuam nos mais diversos tipos de ilícitos (inclusive no tráfico de drogas).

Quanto aos demais núcleos, contumazes na prática dos crimes de descaminho e contrabando, verificou-se a corriqueira utilização de veículos furtados/ roubados, com placas falsas/ clonadas, adquiridos no “mercado negro” por preços bem inferiores ao valor de mercado, para emprego exclusivo em atividades ilícitas. Mostrou-se comum, também, nestes casos, a tentativa de fuga de abordagens policiais, em alta velocidade, de modo a colocar em risco a segurança das rodovias e da própria vida dos policiais e demais pessoas que trafegam nas estradas da região.

A ação tem, dentre outros, o objetivo de reunir informações complementares sobre a prática dos crimes de descaminho, contrabando, associação criminosa e tráfico de drogas, bem como acerca de eventual delito de lavagem de capitais, decorrente da movimentação dos valores auferidos com os ilícitos.

Deixe uma resposta