Paraná Extra

PGR pede pressa ao Supremo para julgar deputado paranaense e seus filhos

A procuradora-geral da RepA?blica, Raquel Dodge, pediu ontem (10) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que priorize em sua pauta de julgamentos o primeiro desfecho de uma aAi??A?o penal da Lava Jato na Corte.

Desde o inAi??cio da operaAi??A?o, em 2014, nenhum processo criminal da Lava Jato foi concluAi??do no STF. Um dos mais prA?ximos do julgamento final, no qual serA? decidida a condenaAi??A?o ou absolviAi??A?o do rAi??u, Ai?? o que envolve o deputado Nelson Meurer (PP-PR) e seus dois filhos, Nelson Meurer JA?nior e Cristiano Augusto Meurer.

Foi nesta aAi??A?o penal que Dodge pediu prioridade, “haja visto o risco de ocorrA?ncia de prescriAi??A?o retroativa quanto ao rAi??u Nelson Meurer caso este seja condenado Ai?? pena mAi??nima (de 2 anos de reclusA?o) no que tange ao crime de corrupAi??A?o passiva”, escreveu a procuradora-geral da RepA?blica.

O deputado foi denunciado em outubro de 2015 pelo entA?o procurador-geral da RepA?blica, Rodrigo Janot, pelos crimes de corrupAi??A?o passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo a acusaAi??A?o, ele teria solicitado e recebido, em nome do PP, mais de R$ 357,9 milhAi??es em propina entre os anos de 2006 e 2014, no esquema de corrupAi??A?o na Petrobras. A denA?ncia foi aceita pela Segunda Turma do STF em junho de 2016, quando foi aberta a aAi??A?o penal.

A acusaAi??A?o tem como ponto de partida a delaAi??A?o premiada de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras e tido como homem do PP na petroleira estatal. Em suas alegaAi??Ai??es finais, a defesa de Meurer afirmou que o MinistAi??rio PA?blico Federal (MPF) nA?o conseguiu comprovar a denA?ncia contra o deputado, ficando a imputaAi??A?o dos crimes baseada somente nas palavras do colaborador, o que Ai?? insuficiente para a condenaAi??A?o.

O caso jA? foi enviado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, para o gabinete do revisor, ministro Celso de Mello, A?ltima etapa antes que a aAi??A?o penal possa ser levada a julgamento. NA?o hA? prazo para que isso ocorra. O mais comum Ai?? que o caso seja apreciado na Segunda Turma da Corte, mas Ai?? possAi??vel que os ministros responsA?veis vejam motivos para que a aAi??A?o penal seja julgada em plenA?rio.

Deixe uma resposta