Paraná Extra

PM confirma expulsão de 13 policiais rodoviários que recebiam propina

De acordo com a Polícia Militar do Paraná, 13 dos 16 policiais rodoviários estaduais suspeitos de envolvimento em um esquema de cobrança de propina em Francisco Beltrão foram expulsos da corporação.
A investigação feita em 2018 pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), apurou a prática dos crimes de concussão (exigência ilegal de valores no exercício da função) e associação criminosa.

Os policiais foram presos na época. Os investigados exigiam durante abordagens na rodovia, dinheiro dos motoristas a pretexto de ocorrência de infrações de trânsito ou irregularidades nos veículos, e faziam ameaças com a aplicação de multa.

De acordo o procurador de Justiça Leonir Batisti, coordenador estadual do Gaeco, a operação resultou em um processo criminal.

Por meio de nota o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) informa que a operação policial que desencadeou a prisão dos militares estaduais foi no dia 6 de fevereiro de 2018. Eles permaneceram presos por cinco meses e, durante esse período, foi instaurado o processo criminal na Vara da Auditoria da Justiça Militar Estadual.

O informe do Batalhão explica que, também na esfera administrativa, foi instaurado um processo chamado Conselho de Disciplina, que visou apurar as condições para a permanência ou não nas fileiras da Polícia Militar. Na Vara da Auditoria o processo criminal está em fase final.

A nota diz ainda que a Polícia Militar do Paraná, por meio da Corregedoria-Geral e do Batalhão de Polícia Rodoviária, prestou todo o apoio às investigações do Gaeco.

A Polícia Militar afirma que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes.

Deixe uma resposta