Paraná Extra

Policiais não aceitam proposta do governo e podem retomar indicativo de greve

Os policiais civis do Paraná rejeitaram na noite de terça-feira (6) a proposta de reajuste salarial apresentada pelo governo estadual na quinta-feira (1º). Assim que os valores foram apresentados, representantes do Sindicato das classes de policiais civil do estado Paraná (Sinclapol) já manifestaram a insatisfação com a tabela de valores.

 

Conforme a proposta do governo, os investigadores de 5ª classe, que acabam de ingressar na Polícia Civil, passariam a receber um salário de R$ 4.020,00. Ao longo do tempo, esse valor pode chegar a R$ 8.196. Para 2013, o governo propôs um salário inicial de R$ 4.502,00, na Polícia Civil.

 

Durante a assembleia ficou decidido que o sindicato vai se reunir para formular uma contraproposta que deve ser apresentada ao governo na próxima semana. Se a nova proposta dos policiais civis for rejeitada eles devem retomar o indicativo de greve.

 

A proposta também foi rejeitada pelos policiais militares do Paraná em assembleia realizada no sábado (3). Eles entenderam que é preciso voltar à mesa de negociação. A Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares Ativos, Inativos e Pensionistas do Paraná (Amai) defende equiparação dos valores ofertados à Polícia Civil e também uma negociação direta com o governador Beto Richa.

 

Os policiais que integram a Polícia Científica do Paraná ainda não definiram uma data para votar a tabela ofertada pelo governo estadual. Segundo o Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxiliares do Paraná (Sinpoapar), não foi possível submeter a proposta a votação porque alguns detalhes precisam ser esclarecidos. Entre eles, a maneira como será feira o reenquadramento dos servidores e as regras de progressão salarial.

 

Basicamente, o governo ofertou o vencimento inicial de um perito de R$ 7.149,00. Com as promoções ao longo da carreira, o salário poderá chegar a R$ 16.954.

 

(G1 PR)

Deixe uma resposta