Paraná Extra

Prefeito e vice de município do litoral perdem os mandatos

A juíza eleitoral Daniele Guimarães Costa, que responde pelos municípios de Matinhos e Pontal do Paraná, no litoral do Paraná, decidiu nesta quarta-feira (8) afastar dos cargos o prefeito de Pontal, Marcos Fioravanti (PSB), conhecido como Marcos Casquinha, e o vice-prefeito Fabio de Oliveira dos cargos. Os dois foram condenados por abuso de poder econômico e outros crimes eleitorais.

Foi determinada a cassação do registro e da diplomação de Casquinha e Fabio com afastamento imediato do cargo.

A Justiça Eleitoral atendeu uma representação eleitoral feita contra os dois pela Coligação Pontal Sempre em Frente (PSD/PTB/PSL/PSC/PR/PRTB/PHS/PMB/PV/PSDB/PCdoB/PTdoB/SD/PROS) e outros, por diversas irregularidades que teriam ocorrido na campanha eleitoral de 2016. Entre os motivos para a cassação de Casquinha e Fabio estão gastos eleitorais antes da existência de conta bancária, caixa dois na campanha eleitoral, distribuição de combustível em troca de votos e omissão de gastos nas prestações de contas.

A decisão da Justiça também determina que os dois fiquem inelegíveis pelo prazo de oito anos após a eleição em que foram identificadas as irregularidades. Marcos Casquinha e Fabio de Oliveira ainda têm direito a recorrer da decisão.

A Prefeitura de Pontal do Paraná informou que o prefeito não foi afastado, que “cabe recurso, que temos certeza que será revertida a sentença”.

Marcos Fioravanti, conhecido como Marcos Casquinha, é comerciante e foi eleito prefeito de Pontal do Paraná com 44.72% dos votos, em 2016.

Deixe uma resposta