Paraná Extra

Prefeitura nega que lombadas detectam uso de cinto e celular para multar

A Superintendência de Trânsito de Curitiba esclarece que as lombadas eletrônicas de Curitiba não são usadas para multar motoristas sem cinto de segurança ou falando ao celular, como está sendo divulgado nas redes sociais. Os equipamentos apenas detectam e identificam veículos que trafegam acima da velocidade máxima permitida, de 40 km/h, o que, posteriormente, vira multa de trânsito.

Multas por dirigir sem usar o cinto de segurança ou usando o aparelho celular são aplicadas por agentes ou policiais de trânsito. Existem duas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que regulamentam multas por videomonitoramento, mas atualmente não há previsão desta modalidade ser implantada em Curitiba.

As multas por excesso de velocidade variam de infração média a gravíssima: até 20% a mais do que o limite estabelecido a infração é média (quatro pontos) e tem o valor de R$ 130,16; de 20% a 50% acima do limite permitido na via a infração é grave (cinco pontos), com valor de R$ 195,23; para velocidade superior a 50% do limite estabelecido, a infração é gravíssima (sete pontos), com valor de R$ 880,41, além da apreensão da carteira de habilitação e suspensão do direito de dirigir.

Atualização

As lombadas eletrônicas da cidade tiveram uma atualização de tecnologia, que iniciou em janeiro e que agora opera com câmeras digitais, e não mais analógicas, o que proporciona um ganho de qualidade das imagens.

Deixe uma resposta