Paraná Extra

Presidente do Paraguai nega que vá renunciar após processo de impeachment

Presidentes dos países da Unasul fazem uma reunião de emergência na tarde desta quinta-feira (21) durante a Rio+20 para discutir a situação política no Paraguai, depois de o presidente Fernando Lugo ter sido forçado a desmentir sua renúncia após a abertura, no Congresso, de um processo de impeachment contra ele.

 

O anúncio da reunião foi feito pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, que também preside o grupo diplomático.

 

Será feito um pronunciamento oficial no fim do encontro.

 

 

“Defendemos os princípios democráticos e esta posição para nós é fixa, concreta e inegociável. É a posição que levaremos a qualquer reunião sobre qualquer situação: defenderemos as democracias, as vontades dos povos soberanos”, afirmou Santos antes da reunião.

 

“Essa posição para nós é fixa, concreta e nao negociável”, disse

 

Confirmaram presença, além do próprio Santos, os presidentes do Brasil (Dilma Rousseff), da Bolívia (Evo Morales) e do Equador (Rafael Correa).

 

Confronto agrário

A pressão política sobre Lugo cresceu nas últimas horas com a aprovação pela Câmara dos Deputados de um processo de impeachment sob o argumento de responsabilidade no confronto entre policiais e camponeses que deixou 17 mortos na última sexta-feira.

 

Lugo teria ligado para presidentes do bloco e confirmado que não tem intenção de renunciar.

 

A Unasul é um organismo político formado por Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

 

(Do G1)

Deixe uma resposta