Paraná Extra

Prova vai avaliar 72 mil estudantes da rede municipal

A Secretaria Municipal da Educação vai promover nos dias 19, 20 e 21 de março a segunda edição da Prova Curitiba, avaliação de larga escala com 72.800 estudantes, de turmas do 2º ao 9º do ensino fundamental, das 183 escolas municipais. Os estudantes serão avaliados nas áreas de Matemática, Língua Portuguesa e também farão uma produção de texto.

O objetivo é acompanhar sistematicamente o conhecimento dos estudantes nas duas áreas. “O resultado sobre o processo de aprendizado na rede municipal de ensino nos permitirá redimensionar ações e desenvolver novas proposições em prol da qualidade do ensino público”, diz a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

Será o segundo ano de realização da Prova Curitiba. Em abril do ano passado, cerca de 40 mil estudantes dos 2º, 4º, 6º e 8º anos foram avaliados nas mesmas áreas do conhecimento. “É um dos nossos importantes instrumentos de análise. Fundamenta, orienta os planejamentos e a organização do trabalho pedagógico nas escolas”, explica a superintendente de gestão educacional, Elisângela Mantagute.

Assim como a anterior, essa edição da Prova Curitiba foi elaborada pela equipe do Departamento de Ensino Fundamental, articulando o que está proposto pelos componentes curriculares com os direitos de aprendizagem e habilidades que são previstos para cada ano.

Identificar pontos fortes

A avaliação aponta os desafios já superados e, segundo a diretora do departamento de Ensino Fundamental, Simone Zampier, o seu formato não é para ranquear ou classificar estudantes e escolas. A avaliação identifica os pontos fortes e as áreas em que é necessário reforçar ações para avançar na qualidade do ensino no município.

“Os resultados possibilitam reflexões sistemáticas sobre os limites e avanços do processo pedagógico como um todo”, diz Simone. “Não substitui a avaliação de aprendizagem do estudante, que é diária, a partir da relação professor/estudante, mas aponta questões sobre planejamento e currículo, trazendo novas perguntas sobre metodologias e estratégias de ensino”, completa.

As provas serão respondidas durante o período regular dos estudantes. A primeira será a de Matemática, no dia 19 deste mês, seguida da de Língua Portuguesa no dia 20. A prova de produção textual, no dia 21, será respondida apenas pelas turmas da primeira etapa do fundamental (2º aos 5º anos).
Entre os importantes resultados alcançados a partir da primeira edição da avaliação, em 2018, está a elaboração de ações formativas para os professores. São cursos, oficinas e modelos diferenciados de formação desenvolvidos que foram inseridos no Veredas Formativas, o programa voltado ao aprimoramento dos profissionais da educação.

Novamente, as respostas apresentadas pelos estudantes pautarão um amplo cronograma de ações, envolvendo as equipes das escolas, dos núcleos regionais de ensino e da Secretaria Municipal da Educação. As respostas apresentadas serão avaliadas e discutidas a partir de um quadro de análise elaborado cientificamente para gerar resultados assertivos em relação as provas.

Na prática, prova e gabarito servirão para que o professor possa refletir e analisar como a criança pensou e o que ela aprendeu. “O processo do estudante para chegar até a resposta é mais significativo do que apenas o acerto”, diz a Luciana Zaidan, da gerência de currículo.

Luciana Faria, da gerência de educação integral, considera a Prova Curitiba um dos importantes documentos de aprendizagem que funciona como instrumento de registro. “A avaliação não se encerra na resolução das questões pelos estudantes. O processo é rico, com análise de acertos e erros discutidos sob os critérios de ensino e aprendizagem, de acordo com o currículo escolar, os Projetos Políticos Pedagógicos, planos de ação, planejamentos de ensino e planos de aula”, explica Faria.

 

Deixe uma resposta