Paraná Extra

Reitoria da UFPR Ai?? invadida: ai???precarizaAi??A?oai??? nos serviAi??os do restaurante universitA?rio

Continuava atAi?? esta tarde o impasse entre a direAi??A?o da Universidade Federal do ParanA? e um grupo de estudantes que invadiu o Departamento de LicitaAi??Ai??es e ContratosAi??no complexo da Reitoria, na Rua XV de Novembro. Eles chegaram a fazer refAi??ns e se manifestam a favor dos trabalhadores terceirizados da instituiAi??A?o. Sobre o episA?dio, as UFPR divulgou a seguinte nota:

1) Um grupo formado por 15 a 20 estudantes ingressou Ai?? forAi??a, no fim da manhA? desta terAi??a-feira (10), num prAi??dio administrativo da UFPR, o Departamento de LicitaAi??Ai??es e Contratos (DLIC), situado no Edificio Dom Pedro II, no complexo da Reitoria, na Rua XV de Novembro.

2) A aAi??A?o do grupo ai??i?? que nA?o tem relaAi??A?o com a representaAi??A?o estudantil eleita para o DiretA?rio Central dos Estudantes e se identifica como integrante da chamada Frente de Apoio Ai?? Luta dos Trabalhadores Terceirizados (FALTT) ai??i?? provocou tumulto e confrontos com servidores da UFPR que trabalham nessa unidade. Alguns servidores foram impedidos pelos estudantes de sair do prAi??dio.

3) Em vista dessa situaAi??A?o, alguns desses servidores mantidos Ai?? forAi??a no prAi??dio chamaram a PolAi??cia Militar, que compareceu no local e isolou a quadra.

4) Os servidores foram mantidos refAi??ns por mais de uma hora. Assim que eles foram liberados, prA?-reitores da UFPR presentes no local imediatamente negociaram a retirada da PolAi??cia Militar do campus, o que ocorreu em seguida, com a liberaAi??A?o do trA?fego das ruas do entorno.

5) Os estudantes, alguns deles mascarados, continuam no interior do Departamento de LicitaAi??Ai??es e Contratos da UFPR.

6) A Reitoria da UFPR lamenta que a ocupaAi??A?o tenha ocorrido em pleno processo de diA?logo com a comunidade universitA?ria sobre os restaurantes universitA?rios da instituiAi??A?o.

7) A chamada FALTT tem feito nas A?ltimas semanas aAi??Ai??es em nome do que considera ai???defesa dos trabalhadores terceirizados da UFPRai??? contra supostas arbitrariedades.

8) O tema envolve uma relaAi??A?o trabalhista entre os empregados e a empresa terceirizada contratada hA? dois meses para operar os restaurantes universitA?rios da UFPR em Curitiba. Ai?? UFPR, como contratante, cabe fiscalizar os contratos mantidos entre a empresa contratada e seus empregados, o que tem sido feito com absoluto rigor.

9) Paralelamente, a UFPR vem promovendo rodas de conversar com estudantes em todos os setores, para informar a real situaAi??A?o dos trabalhadores e as providA?ncias que vem tomando como fiscal do contrato. A FALTT estA? informada sobre esse acompanhamento.

Deixe uma resposta