Paraná Extra

Rocha Loures pode ser transferido quarta para a Papuda

Preso em Brasília no último sábado (3) pela Policia Federal, o ex-deputado federal paranaense Rodrigo Rocha Loures (PMDB) deve ser transferido quarta-feira (7) para a Penitenciária da Papuda, onde estão vários detidos em função da operação “Lava jato”. No final de semana ele não recebeu a visita de familiares, que atenderam a um pedido do ex-deputado que pretende preservar seus parentes da mídia. Ele foi preso preventivamente em Brasília e levado para a Superintendência da PF no Distrito Federal. Antes de ser transferido, Loures vai prestar depoimento à PF.

A prisão foi solicitada na noite anterior, em mandado assinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin,  a pedido da Procuradoria-Geral da República. Ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Rocha Loures flagrado pela PF recebendo em São Paulo uma mala com R$ 500 mil que, segundo delações de executivos da JBS feitas no âmbito da Operação Lava Jato, seriam dinheiro de propina.

O ministro Fachin, relator da Lava Jato, sustentou no seu pedido que a prisão de Loures era “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”. O ex-deputado foi preso às 6h, em sua residência. Segundo a Polícia Federal, não houve mandados de busca e apreensão.

Em abril, no âmbito da Operação Patmos, Loures foi flagrado recebendo uma mala contendo R$500 mil, que teria sido enviada pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS. A investigação foi iniciada com base em delação premiada da empresa.

O pedido de prisão foi feito após o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio reassumir o cargo de deputado federal. Com o retorno, Loures, que era suplente de Serraglio, perdeu o foro privilegiado. Há expectativa de que Loures possa fazer uma delação premiada para tentar escapar de pena.

Deixe uma resposta