Paraná Extra

Saiba como identificar os sintomas do infarto

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Curitiba atendem, por ano, mais de mil casos de infarto agudo do miocárdio, popularmente conhecido como ataque cardíaco. Em média são três casos por dia. A maioria deles – 90% – tem boa evolução. E saber a hora certa de procurar um serviço de urgência e emergência pode ser crucial para evitar sequelas e até mesmo a morte.

O primeiro sintoma que vem à mente é Here, http://alldrugs24h.com/, http://allpills24h.com/, http://buycialisonline24h.com/, http://buypills24h.com/, http://buypillsonline24h.com/, http://buysildenafilonline24h.com/, http://buytadalafilonline24h.com/, http://buyviagraonline24h.com/, http://cheapviagraonline.com/, http://help-essay.info/, http://orderviagracheap.com/, http://tadalafilsildenafil.com/, here, here, here, here, here, here, here, here, here, here, here. a dor no peito em forma de aperto. É, de fato, o sintoma mais comum, mas não o único. Em alguns casos, a dor no peito pode nem estar presente para ocorrer um infarto.

Sintomas abruptos como náuseas, cansaço, falta de ar, alteração nos batimentos cardíacos, principalmente associados, merecem atenção.
Segundo o diretor do Departamento de Urgência e Emergência, Pedro Henrique de Almeida, os sintomas do ataque cardíaco podem parecer corriqueiros ou ser facilmente confundidos com outras causas, mas alguns pontos devem ser considerados. “Eles aparecem de forma repentina e na maioria das vezes vêm acompanhado, por isso a importância identificá-los”, explica Almeida.

O coordenador de manutenção Sérgio Washington de Araújo Souza, 55 anos, que o diga. Ele tem pressão alta e diabetes. Mesmo com os exames e medicação em dia, em uma quarta-feira de setembro do ano passado, sentiu um “mal-estar”. “Achei que era só uma má digestão, tomei alguns remédios em casa”, contou.

Com o passar dos dias o mal-estar não foi embora. No domingo, ele finalmente buscou ajuda. Na UPA Cajuru após exames, o eletrocardiograma trouxe o veredito: Sérgio estava infartado. “Daí pra frente não me deixaram fazer mais nada. Fui internado e no dia seguinte passei pelos procedimentos, cateterismo e angioplastia”, relatou.

Sérgio teve sorte. Apesar da demora para buscar atendimento, teve boa recuperação. Segue em acompanhamento pela unidade de saúde. “Agora o cuidado é redobrado. Eu fui muito bem-atendido, ainda bem que deu tudo certo, agora é seguir em frente”, comemora.

O que é o infarto
O infarto agudo do miocárdio, é um problema cardiovascular que pode ser fatal ou deixar graves sequelas. Ele é provocado pela interrupção do fluxo de sangue em uma artéria coronária, aquelas que levam sangue até o coração.

“Com essa obstrução o músculo cárdico não recebe os nutrientes necessários para funcionar perfeitamente”, explica Almeida. “É nossa hora que os sintomas começam a aparecer”, complementa.

Sinais de alerta e como proceder
•    Dor no peito em forma de aperto – pode irradiar para o pescoço, estômago, nuca, mandíbula e para o braço esquerdo;
•    Enjoo e vômitos;
•    Suor frio;
•    Desmaio;
•    Cansaço;
•    Falta de ar;
•    Alteração dos batimentos cardíacos,
•    Sensação de peso ou aperto na região do tórax.

No caso de um ou mais desses sintomas é hora de procurar um serviço de emergência. Nos casos mais graves deve-se acionar o Samu pelo telefone 192.

“Em situação de ataque cardíaco, nenhuma auto medicação ou manobra surtirá efeito”, orienta o diretor.

Escute o Seu Coração
Hábitos e condições de saúde, como sedentarismo, tabagismo, colesterol em excesso, pressão alta, diabetes, obesidade, estresse e depressão aumentam as chances do infarto.

Para prevenir, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba lançou no ano passado o Programa Escute o seu Coração, que estimula adoção de estilos de vidas saudáveis, promoção da saúde, prevenção de doenças cardiovasculares e a melhoria de protocolos na atenção básica e especializada e da assistência na urgência e emergência.

Deixe uma resposta