Paraná Extra

Servidores agora acampam na porta do Palácio Iguaçu

Depois de passarem a noite de ontem (9) na Assembleia, servidores públicos se instalaram junto às portas do Palácio Iguaçu como forma de pressionar o governador Ratinho Junior a refazer a proposta de reajuste para a categoria.

Com barracas de camping instaladas, os funcionários prometem permanecer no local até que surja uma nova manifestação do Executivo. Uma reunião deve ser realizada nesta quinta-feira (11) entre as partes.

O projeto que fixará um eventual reajuste somente será votado a partir de 5 de agosto, quando termina o recesso da Assembleia.

Os servidores reivindicam reajuste de 4,94% relativo à inflação de abril de 2018 a maio de 2019. Na semana passada, o encaminhou à Assembleia projeto prevendo reajuste de 5,09% parcelado até 2022, com pagamento de 0,5% a partir de outubro deste ano; 1,5% a partir de março de 2020; 1,5% a partir de janeiro de 2021 e 1,5% a partir de janeiro de 2022. As duas últimas parcelas ficariam condicionadas ao crescimento da receita do Estado em relação ao ano anterior em 6,5% e 7%, respectivamente.

Em greve desde o último dia 25 e com os salários congelados desde 2016, os servidores rejeitaram a proposta e mantiveram a paralisação. O governo, então, apresentou outra proposta, prevendo o pagamento de 2% de reajuste em janeiro de 2020, e o restante parcelado até 2022, conforme o projeto original. O Fórum das Entidades Sindicais (FES/PR) manteve a posição de reivindicar a reposição imediata da inflação, mas admitiu a possibilidade de aceitar o pagamento parcelado, desde que o governo pague os 2% já em outubro.

Deixe uma resposta