Paraná Extra

Surrealismo na eleição: candidato disputa prefeitura com tornozeleira eletrônica

Piên, na Região Metropolitana de Curitiba, vai mostrar que existe surrealismo na política paranaense.  Acusado de duplo homicídio, Gilberto Dranka, portador de tornozeleira eletrônica, é um dos candidatos a prefeito. Ele já ocupou o cargo por dois mandatos. É acusado no duplo homicídio após a eleição de 2016, quando o então prefeito eleito, Loir Dreveck, foi assassinado. Dranka foi apontado pela polícia como um dos mandantes do crime.

Após um ano preso, ele agora tem a liberdade monitorada e aguarda decisão do julgamento. Como ainda não foi julgado, pode participar da eleição.
O candidato ficou nacionalmente conhecido por ter se escondido, de pijama, no forro da casa quando os policiais chegaram para cumprir o mandado de prisão. O atual prefeito, João Osmar Mendes, que poderia tentar a reeleição, desistiu de concorrer.

Deixe uma resposta