Paraná Extra

TRF é quem vai decidir se audiência de Lula será mantida

A realização da audiência do ex-presidente Lula na Justiça Federal nesta quarta-feira (10) ainda depende de uma decisão do Tribunal Regional Federal da Quarta Região.

Os advogados de defesa do petista pediram na segunda instância a suspensão do processo e do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sergio Moro.

Alegam não ter tempo suficiente para analisar documentos da Petrobras relativos ao caso que deveriam ser juntados à ação penal.

CUT

Por outro lado, a Central Única dos Trabalhadores do Paraná (CUT-PR) recebeu negativamente a decisão de se proibir acampamentos em ruas e praças da cidade nos dias próximos ao depoimento do ex-presidente da República, que estão programados para começar a acontecer nesta terça (9).

Segundo Regina Cruz, presidente da CUT-PR, são 500 ônibus vindos de várias cidades do país, que agora não têm onde ficar. “Não temos o que passar para os manifestantes e isso está difícil de se dialogar. Isso é um problema de segurança pública, porque fomos cerceados de andar na cidade. Nossa preocupação é porque os ônibus vão chegar e como vamos recebê-los?”, questionou Cruz.

Ainda de acordo com a presidente, o sindicato buscará um dialogo com a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Paraná. “Estamos tentando uma conversa com o prefeito e o governador, porque isso poderá gerar um caos. Os ônibus estão chegando de Sergipe, Pernambuco e outras cidades, com pessoas que agora estão impedidas de se manifestar”, afirmou.

O interdito proibitório foi dado em razão de informação obtida pela Secretaria de Segurança Pública, de que milhares de manifestantes vindos de outras cidades e Estados se deslocarão até as proximidades da Justiça Federal para montar sua estrutura e acampamento, com ocupação de ruas e praças de Curitiba. Com a alegação de preservar a ordem, a Prefeitura requereu a liminar.

 

Deixe uma resposta