Paraná Extra

Varejo paranaense teve redução de 3,6% em abril

O varejo do Paraná registrou queda de 3,6% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado. Os dados são da Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), que monitora mensalmente a evolução das vendas, formação de estoques, contratações e folha de pagamento.

Apesar do bom desempenho de alguns setores, tais como móveis, decorações e utilidades domésticas (33,12%), calçados (8,94%), lojas de departamentos (8,15%) e supermercados (2,99%), as vendas do comércio no Estado foram inferiores ao mesmo período de 2016 e também em relação a março, quando houve diminuição de 5,88%.  Os feriados da Semana Santa, Tiradentes e do Dia do Trabalho reduziram a quantidade de dias úteis de abertura do varejo no mês de abril e influenciaram no volume mensal de vendas.

No acumulado do ano, os varejistas paranaenses amargam perdas de 3,41%. Com alta de 32,95% e de 10%, as lojas de móveis, decorações e utilidades domésticas e as de calçados, respectivamente, estão entre os poucos ramos que conseguiram ampliar o faturamento na maior parte das regiões de Estado. O setor de móveis, por exemplo, teve alta de 50,09% em Curitiba, de 14,27% em Londrina e de 4,08% em Maringá. Esse crescimento foi motivado pela grande oferta de novos imóveis e em especial, a Capital continuou com promoções muito agressivas para alavancar as vendas. Um pouco mais tímido, o segmento de óticas, cine-foto-som também obteve aumento nas vendas, na ordem de 3,54%, de janeiro a abril, principalmente na região de Maringá (28,46%).

Os piores desempenhos no acumulado do ano foram registrados pelas livrarias e papelarias (-14,88%), combustíveis (-13,38%), autopeças (-11,7%), materiais de construção (-6,09%) e concessionárias de veículos (-5,39%).

Na análise regional, Maringá teve a maior redução nas vendas em abril na comparação com o mesmo mês de 2016, com queda de 12,39%. Na sequência figuram o Litoral (-9,81%), região Sudoeste (-8,24%), Oeste (-5,99%), Ponta Grossa (-3,29%), Londrina (-2,25%) e Curitiba e Região Metropolitana (-1,37%).

Já no balanço acumulado, o Litoral aparece com a maior retração no faturamento, com baixa de 11,47%.  Maringá (-8,93%) e a região Oeste (-8,08%) também apresentaram redução expressiva. Em Ponta Grossa, as vendas foram 4,78% menores; no Sudoeste, -2,11%; na Capital, -1,58% e em Londrina, -1,57%.

Compras

As compras em abril foram 4,93% menores do que no mesmo período de 2016.  Os setores que apresentaram maior variação positiva no estoque foram móveis, decorações e utilidades domésticas (34,79%), calçados (15,04%), vestuário e tecidos (13,51%) e concessionárias de veículos (6,01%), o que indica que esses segmentos estão apostando em um futuro favorável para as vendas e por isso ampliaram seus estoques.

Deixe uma resposta