Paraná Extra

Vereadores mandam cercar a Câmara e chamam a PM: “pacotaço” de Greca

Faltando um dia para nova tentativa de votação do pacote de ajuste fiscal proposto pelo prefeito Rafael Greca (PMN), a Câmara Municipal de Curitiba amanheceu cercada por grades e protegida por integrantes da Polícia Militar. O presidente Serginho do Posto (PSDB) diz que se for  necessário usará o interdito proibitório concedido na semana passada pela juíza Patrícia de Almeida Gomes Bergonse, da 5ª Vara da Fazenda Pública, que proíbe a ocupação do Legislativo, sob pena de multa de R$ 50 mil. Em caso de nova ocupação, a determinação da juíza autoriza a PM a promover a reintegração de posse da Casa para garantir as votações.

O prefeito Rafael Greca, que não participou diretamente de nenhuma negociação porque estava em viagem de lazer à Argentina, insiste que a aprovação do ajuste é a única forma de recuperar as finanças da prefeitura e garantir o pagamento dos salários dos servidores e a manutenção dos serviços públicos. Os sindicatos mantiveram posição pela retirada dos projetos de pauta. No mesmo dia, os servidores decidiram manter a greve e a mobilização para pressionar os vereadores contra a aprovação dos projetos.

Deixe uma resposta