Paraná Extra

Ativados leitos de UTI em localidades que nunca receberam o serviço

A Secretaria Estadual da Saúde ativou, desde o início da pandemia, 124 leitos de UTI em municípios que nunca tiveram este tipo de apoio para internação. São municípios com 10 mil a 47 mil habitantes, espalhados por todas as regiões do Paraná.

A estratégia contempla especialmente a política de gestão da regionalização da saúde, conforme diretrizes do Governo do Estado. O objetivo é que as pessoas possam contar com suporte médico/hospitalar mais perto das suas casas, especialmente no período da pandemia da Covid-19.

“É um esforço contínuo desde março de 2020 para levar assistência especializada, com equipamentos e profissionais, para as regiões do estado beneficiando todos os municípios, independente do porte, mas sempre de acordo com a necessidade de logística e com foco na regionalização dos serviços de saúde”, afirmou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Doze municípios tiveram estruturas abertas neste pouco mais de um ano da pandemia. O investimento destes leitos é feito com recursos do Governo do Estado e também do Governo Federal. O custeio mensal é de aproximadamente R$ 6 milhões.

“Neste período e enquanto perdurar a pandemia, 12 municípios que nunca tiveram UTI receberam este benefício e estão podendo tratar os casos graves de Covid-19 sem precisar de deslocamento para cidades maiores; sabemos da urgência que a infecção do coronavírus pode causar e por isso a implantação destes leitos exclusivos para o tratamento da doença”, disse o secretário.

Descentralização – Na região Leste, pela primeira vez, foram ativados leitos UTI nos municípios de Laranjeiras do Sul, 10 leitos, no Instituto São José, e no município da Lapa, com 6 leitos de unidade de terapia intensiva, no Hospital São Sebastião, autorizados na semana passada pelo pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Na região Oeste, Assis Chateaubriand conta com 28 leitos de UTI no Hospital Moacir Miqueletto; em Palotina, 10 leitos de UTIs no Hospital Abrão Delazzari; Chopinzinho, com 10 unidades de terapia intensiva em funcionamento no Instituto São Rafael; Nova Aurora, com 6 leitos no Hospital Dr. Aurélio; Cerro Azul, com 3 leitos no Hospital Bom Samaritano; e Missal, 3 leitos no Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Fátima.

Já na região Noroeste, os leitos de UTI foram implantados pela primeira vez nos municípios de Colorado, com 20 leitos no Hospital Santa Clara; Goioerê, com 10 leitos na Santa Casa e no município de Astorga, com 3 leitos no Hospital Cristo Rei.

Outros 15 leitos de UTI também foram abertos pela primeira vez no Norte do Estado, no Hospital Regional do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina.

“A decisão de implantação e ativação dos leitos de UTI Covid pela Sesa leva em conta as necessidades regionais, considerando o cenário diário da pandemia”, explica o diretor de Gestão em Saúde da Sesa, Vinícius Filipak.

As estruturas montadas têm equipamentos que foram cedidos pelo Estado, dentre respiradores e monitores, além de doações que chegaram ao Estado e foram entregues às instituições ou ainda que foram adquiridos pelo próprio prestador de serviços.

Deixe uma resposta