Paraná Extra

PF cumpre mandados em Curitiba e São José dos Pinhais contra traficantes

A Polícia Federal, com apoio da Receita Federal e da Polícia Militar de Santa Catarina (PM/SC), deflagrou nesta manhã de quarta-feira, 16 de junho, a operação “Rota do Espantalho”, para desmantelar uma associação criminosa, instalada no litoral norte de Santa Catarina, voltada à prática do crime de tráfico de drogas sintéticas para venda em eventos no Estado e fora dele.

Cerca de 80 policiais federais estão cumprindo 16 mandados de busca e 6 mandados de prisão temporária, nos estados de Santa Catarina e Paraná, em 5 cidades: Florianópolis, Joinville e Balneário Camboriú, em Santa Catarina, Curitiba e São José dos Pinhas, no Paraná. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal da Justiça Estadual em Joinville e, no cumprimento, estão sendo utilizados cães farejadores da PM/SC.

As investigações apontaram que os investigados, que se passavam por empresários, atuavam promovendo a compra injustificada de produtos químicos precursores da fabricação de drogas sintéticas, como tricloroetileno, ácido clorídrico, helional, isopropanol e outros. As substâncias eram adquiridas em duas lojas de produtos químicos de Joinville e em seguida eram levadas para laboratórios clandestinos, onde eram empregadas na fabricação de drogas como ecstasy e MDMA em grandes quantidades.

Durante os trabalhos de investigação, que começaram em junho de 2020, a Polícia Federal desmantelou três laboratórios clandestinos de drogas sintéticas, um em São José dos Pinhais/PR, um em Camboriú/SC, e o terceiro em São Francisco do Sul/SC, promovendo a prisão em flagrante de 6 pessoas. Em apenas um dos laboratórios desativados foram encontradas substâncias químicas capazes de produzir 290 mil comprimidos de ecstasy.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico (Lei n. 11.343/06), cujas penas máximas somadas chegam a 25 anos de reclusão. Os presos serão conduzidos às sedes da PF em Joinville e Itajaí, onde serão interrogados e, posteriormente, levados ao presídio regional de Joinville, onde ficarão recolhidos à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta