Paraná Extra

Polícia investiga fraude em contratação de amistoso do Brasil contra Portugal, em 2008


Doze policiais civis do Distrito Federal estiveram neste sábado no Rio para investigar fraudes na contratação de um amistoso da seleção brasileira contra Portugal, em novembro de 2008. A partida, vencida pelo Brasil por 6 a 2, aconteceu no Gama, cidade-satélite de Brasília.

A polícia esteve na capital fluminense para fazer uma busca na sede da empresa Ailanto Marketing, no Leblon. A empresa foi a organizadora da festa, que custou R$ 9 milhões ao governo do Distrito Federal.

De acordo com as investigações da polícia, a Ailanto iniciou suas atividades pouco mais de um mês antes da realização do amistoso. A polícia diz ainda que a empresa não possui sequer telefone fixo e tinha um capital social de apenas R$ 800.

A Ailanto é de propriedade do espanhol Sandro Rosell, ex-presidente do Barcelona e parceiro da CBF em uma série de operações. Durante a Copa América na Argentina, Rosell era figura fácil ao lado de Ricardo Teixeira.

Em julho deste ano, o jornal Folha de S.Paulo publicou reportagem relatando um negócio obscuro entre Teixeira, a empresa aérea TAM e Ailanto. Na transação, o presidente da CBF adquiriu um jato particular dando como parte do pagamento uma aeronave que não era sua – pertencia à Cessna, que representa a TAM no Brasil.

As autoridades policiais de Brasília têm provas de que a Ailanto teve permissão de Ricardo Teixeira, presidente da CBF, para negociar diretamente com o governo local. De acordo com a investigação, a procuradoria do Distrito Federal vetou o gasto público com o jogo. Documento mostrado neste sábado no Jornal Nacional, da TV Globo, mostra que a procuradoria considerou “imprestáveis” os motivos que justificavam o valor do evento.

Só que o então governador José Roberto Arruda ignorou a decisão. Em março de 2010, ele acabou cassado por envolvimento com o escândalo do mensalão do DEM de Brasília.

De acordo com outro documento mostrado pela TV Globo, a polícia afirmou que o amistoso causou um rombo de R$ 9 milhões aos cofres públicos. Segundo a polícia, as despesas de custeio do espetáculo – que eram de responsabilidade da Ailanto Marketing – foram pagas pela Federação Brasiliense de Futebol. O presidente da entidade, à época, era Fábio Simão – que foi também chefe de gabinete de José Roberto Arruda.

de ESPN

2 respostas para “Polícia investiga fraude em contratação de amistoso do Brasil contra Portugal, em 2008”

  1. Alessia Santos disse:

    Na semana passada as Organizações Globo disseram nos tais princípios editoriais, amplamente divulgados, que na Globo “isenção é a palavra-chave(…) o contraditório deve ser sempre acolhido (…)não pode haver assuntos tabus(…)”.
    Se é assim, por que só ex-governador Arruda apareceu na matéria do Jornal Nacional, se o ex-governador Aécio Neves utilizou o mesmo recurso para levar a seleção brasileira pra jogar em Minas? Acessem o link http://www.dihitt.com.br/barra/arruda-pagou-r-9-milhoes-indevidos-para-jogo-da-cbf-e-aecio-neves-pagou-quanto-1 e pensem a respeito.

  2. Alessia Santos disse:

    Está escrito nos princípios editoriais das Organizações Globo que, “antigamente, costumava-se dizer que o jornalismo era a busca pela verdade dos fatos”. Agora, para a Globo isso passou a ser visto apenas como utopia. Ora, todo mundo sabe que todas as cidades brasileiras que pretendiam ser sedes da copa, tinham por obrigação mostrar que havia condições para isso. Por que será que, justamente agora, quando o governo Agnulo está metido até o pescoço em todo tipo de denúncias, o Jornal Nacional volta a falar disso como se fosse novidade? http://www.dihitt.com.br/barra/arruda-pagou-r-9-milhoes-indevidos-para-jogo-da-cbf-e-aecio-neves-pagou-quanto-1

Deixe uma resposta para Alessia Santos